Blog do Lacy, 10 anos no ar! Lima Campos, passa aqui!

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

SAIU NO DIÁRIO DO NORDESTE


Perímetro receberá R$ 24 milhões

         Repasse do Ministério da Integração Nacional ainda terá mais R$ 1 milhão para obras de urbanização em Icó

Icó. Os produtores rurais do Perímetro Irrigado Icó-Lima Campos (PIILC), localizado neste município, na região Centro-Sul do Estado, vivem a expectativa de liberação de recursos para construção de obras de infraestrutura na unidade produtora. O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, assegurou o repasse de R$ 24 milhões. Sem condições de irrigação, dois terços do perímetro estão paralisados há 13 anos e os agricultores ociosos e sem renda.

Canais para escoamento de água e estradas com sistema de drenagem estão entre as obras a serem realizadas pelo Dnocs em convênio com a prefeitura municipal. Agricultores aguardam cumprimento da promessa. Foto: Honório Barbosa

O anúncio da alocação de recursos foi feito em recente reunião realizada no gabinete do ministro, Fernando Bezerra, em Brasília. Participaram do encontro o vereador Victor Luiz, a deputada federal Gorete Pereira (PR) e o ex-deputado federal Roberto Pessoa (PR). Bezerra assegurou, também, o repasse de R$ 1 milhão para obras de urbanização na área urbana de Icó.

Em julho passado, agricultores realizaram manifestações nesta cidade e ocuparam a sede do Departamento Nacional de Obras contra a Seca (Dnocs) com o objetivo de chamar a atenção das autoridades estaduais e federais sobre a precariedade da infraestrutura do PIILC. Os irrigantes cobraram mais uma vez a liberação de recursos para o perímetro, que está abandonado há mais de uma década.

Buracos

O canal principal e os secundários estão quebrados, estradas de acesso aos lotes permanecem com buracos. Dois terços do perímetro que ficam localizados à margem direita do Rio Salgado permanecem sem irrigação desde o ano 2000. O sistema antigo de bombeamento de água oriunda do açude Lima Campos que chega por gravidade até o leito do Rio Salgado, está desativado porque é inviável economicamente. Os custos de manutenção e de consumo de energia elétrica são muito elevados.

Há um projeto que prevê a transposição da água por gravidade, sem custo de energia elétrica, elaborado há seis anos, com orçamento inicial de R$ 12 milhões. Essa obra é uma reivindicação dos produtores rurais apresentada ao Dnocs. "Esperamos que, em breve, comece a execução do projeto", disse o vereador, Víctor Luiz Monteiro.

Há necessidade de se obter a licença ambiental e realização de licitação para a escolha da empresa que vai executar o canal de adução por gravidade sob o Rio Salgado.

"A gente precisa recuperar canais, fazer rede de drenagem, modificar o sistema de irrigação para um modelo mais eficiente, reduzindo o consumo de água e a despesa com energia", pontuou o titular do Ministério da Integração Nacional.

O líder do prefeito na Câmara destacou a importância do encontro com o ministro, com a garantia do recurso para a reestruturação do PIILC. "A nossa ida a Brasília foi positiva", frisou. A deputada federal Gorete Pereira lembrou as dificuldades por que os irrigantes atravessam, sem ter condições de produzir. "Uma área que era para ser um celeiro de produção está ociosa, mas o nosso esforço é para modificar esse quadro a partir das obras de infraestrutura que serão realizadas".

O prefeito de Icó, Jaime Júnior, não pode participar da audiência com o ministro Fernando Bezerra, mas comemorou o anúncio da liberação dos recursos. "A esperança foi renovada e, agora, aguardamos que os projetos se transformem em realidade", disse. "O perímetro precisa ser uma área produtiva, gerando emprego e renda no campo".

O gestor municipal de Icó confirmou que, além da verba anunciada para o PIILC, haverá investimentos para urbanização em áreas alagáveis com pavimentação em paralelepípedo com drenagem superficial nos bairros do Novo Centro, Vila Gondim, Prainha do Salgado, Conjunto São Vicente de Paula, Conjunto José Walfrido Monteiro, Loteamento Alto dos Bastos e Comunidade das Oito Casas.

Convênio

Serão investidos, nessas obras, R$ 1 milhão do Governo Federal e R$ 42 mil de contrapartida da Prefeitura de Icó. "Conseguimos tirar o município da situação de inadimplência e vamos regularizar o convênio, possibilitando a liberação de recursos para a Prefeitura ", explicou Jaime Júnior. O ministro Fernando Bezerra determinou que o Dnocs acelere as medidas para a reestruturação do perímetro em 2014.

O diretor da Associação do Distrito de Irrigação Icó-Lima Campos (Adicol), Rui Teixeira Pinto, lamenta o atraso na liberação de recursos e das obras de melhoria da infraestrutura dos canais e estradas. "A situação dos produtores é grave, de empobrecimento", afirma. O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Icó, Lourival Teixeira, afirma que os agricultores estão cansados de esperar por promessas não cumpridas. "Esperamos que o anúncio feito pelo ministro ocorra de fato, e que as obras sejam realizadas".

HONÓRIO BARBOSA
REPÓRTER 
fonte; Diário do Nordeste


Nenhum comentário:

Postar um comentário